quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

POEMAS D’ “a colheita íntima” SELECIONADOS PARA ANTOLOGIA COMEMORATIVA DOS 50 ANOS DA GUERRA COLONIAL




A convite do CES – Centro de Estudos Sociais, da Universidade de Coimbra, os poemas “Lá Longe” e “Na Cubata”, publicados no livro “a colheita íntima” de eduardo roseira,, pela editorial lavra…, em 2003, foram selecionados para integrar a “Antologia Poética da Guerra Colonial” organizada pela Prof.ª Dr.ª Margarida Calafate Ribeiro e pelo Prof. Dr. Roberto Vecchi, integrado no projecto de investigação “Poesia da Guerra Colonial: uma ontologia do ‘eu’ estilhaçado”, que teve lugar no CES da UC, com o apoio da Fundação para a Ciência e Tecnologia e do Ministério da Defesa Nacional, que irá ser publicada sob a chancela da editora Afrontamento.

Ao longo deste projecto foi feita uma vasta recolha de material poético relativo à Guerra Colonial da qual resultou um conjunto de textos de um leque muito variado de autores, e de grande valor para a construção de uma antologia.
Os autores e promotores deste projecto pretendem que esta antologia seja uma forma de assinalar os 50 anos do início da Guerra Colonial.

18 comentários:

Lourdes dos Anjos disse...

PARABÉNS BOM AMIGO.UM GRANDE ABRAÇO

Jorge disse...

Amigo Eduardo Roseira:

A colheita íntima vem provar que a nossa luta poética, mais cedo ou mais tarde, dá-nos um prémio, não só pela humildade que te caracteriza como também pela mesma que ouso" vestir", muito embora haja ventos contrários a tentar denegrir o nosso caminho. PARABÉNS e segue em frente. Jorge Vieira

henrique disse...

Parabéns cunhado e amigo...só revela o quão importantes são as tuas "palavras"..."memórias" e o amor que tens pela escrita..."poesia"...abraço

eduardo roseira disse...

Meus Amig@s, obrigado pelas vossas palavras, atendendo a que "a colheita íntima", foi uma edição de autor, com a normal "vendoferta" em mão e de tiragem pequena, não tendo eu enviado livros para quaisquer instituição que não fosse as Bibliotecas Nacional, do Porto e de Gaia, fiquei admirado, mas os senhores lá do Coimbra, não me souberam dizer como é que a pesquisa chegou até mim...

Anónimo disse...

O que tem qualidade, mais tarde ou mais cedo é reconhecido.
É um justo reconhecimento ao teu trabalho e dedicação à palavra e à poesia.
Sabes, melhor que ninguém, o quanto fiquei feliz ao tomar conhecimento deste tardio mas justo convite.
Aquele abraço.
do teu afilhado,
luis nogueira

Anónimo disse...

Parabéns! Um abraço,
Carlos Jorge Silva

Anónimo disse...

PARABÉNS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Fico muito contente por si.
Já lhe tinha dito - Uma palavra para si: Qualidade
E não tem problema de reconhecer que o que faz tem qualidade.
Não falo de orgulho, falo de gostar do que faz com todo o seu coração.

Um abraço

Natércia Lopes

Anónimo disse...

Fantastico, muitos parabens e a vaidade quando baseada em "competência" e "qualidade" é até legitima e merecida.

Um beijão
Miga (Maria Rodrigues)

Anónimo disse...

Tu podes não ser vaidoso mas eu tenho muita vaidade em ti! Mereces essa honraria! Abraço!

Rogério do Carmo (Paris)

Anónimo disse...

Roseira: que bom, caro Roseira, você bem merece por ser dedicado, sério, criativo e generoso. Abraços do Cassio e da Constância Nery

Anónimo disse...

Caro Eduardo Roseira,

Os meus parabéns por esta escolha dos seus poemas.
A propósito da guerra colonial, foi publicado recentemente um excelente livro de poemas (um longo poema), K3, de Nuno Dempster, pela editora & etc, 2011. Vale bem a pena lê-lo.
Abraço,

DM (Domingos da Mota)

tecas disse...

Parabéns querido amigo! Há tantos anos que te entregas à arte, é justo que te dêem o devido valor.
Fico feliz por ti. E, o facto de divulgares aos teus amigos, não é vaidade. Todos reconhecemos o mérito da simplicidade e boa vontade da tua maneira de ser.
Um beijo grande e mais uma vez parabéns.

CARLOS MACHADO disse...

Como autor, romancista, desconhecido, fico imensamente feliz por um escritor que faz edição/promoção/divulgação próprias tem algum reconhecimento. Parabéns.

Anónimo disse...

Caro amigo, Eduardo

Fico muito feliz por si... e tambem pela poesia. Todos ficamos a ganhar.
Os meus sinceros parabens.
Bj
Elvira santos
(Editora Mosaico de Palavras)

Anónimo disse...

Eduardo Roseira
Meu amigo de longa data,senti-me muito feliz como se fora eu a receber esta noticía.
O valor de algo que se faz e sente, nem sempre é reconhecido por muita gente.
O meu amigo é muito simples , nem valoriza o que é seu mas ainda bem que alguém se apercebeu do seu valor.

Parabéns merecidos e obrigada por partilhar comigo.

Maria da Graça Almeida

Anónimo disse...

Olá menino!
Já me tinhas falado nisto. Fizeste bem ao dar conhecimento disto no blogue.
Fiquei curiosa: de que forma chegaram até a ti? Pesquisa na net, alguém que teria o livro...?
Mereces e tens-te esforçado. Parabéns!!!
Beijinhos.
Ana (Maria Roseira)

Aristides Silva disse...

Olá, Amigo Roseira!
Sinto-me honrado por ter tão ilustre Amigo, cuja amizade agradeço.
Parabéns!

Anónimo disse...

Olá Roseira,

Excelente! Fico muito contente por ti!

Abreijos,
Luis Beirão