quinta-feira, 31 de julho de 2008

Contra-capa do livro


7 comentários:

Anónimo disse...

num gusteii

Teresa Afonso disse...

Nesta "coisa" da poesia não há meios temos! Ou se gosta ou se detesta! Pois bem eu amo a poesia e A COLHEITA INTIMA é muito bom!
Parabéns

eduardo roseira disse...

Agradecimentos:
1 - Anónimo - Grato pela leitura - GOSTEI do seu comentário, apesar de breve...

2 - Teresa Afonso - Grato pela leitura - Também concordo consigo, ou se gosta ou se detesta! A poesia é a minha paixão, e mais do que escrevê-la, adoro dizê-la.
Obrigado por ter partilhado a "colheita íntima"
eduardo roseira

Lenita disse...

Olá Eduardo Roseira,
Gostei imenso desta "colheita intima" que aqui tão generosamente partilha.

Stella Tavares disse...

Parabéns, poeta, pela profícua Colheita Intima! Adorei sua poesia!!!

Fabi Magni disse...

Adorei o "animador da palavra". Isso, por si só, já é poesia!

eduardo roseira disse...

Caro Fabi, obrigado pelo comentário. "Animador da Palavra", diz, é poético, fico extremamente sensibilizado, até porque eu que faço da voz "metier", sem ter nada contra, não me assumo como declamador, dizedor, etc...mas sim como Animador da Palavra, na qual pego e a torno, pelo menos tento, mais viva. Se quiser saber mais, visite o meu Blog Profissional: palavrasvivas-eduardoroseira.blogspot.com